Alunos de São Miguel das Missões aprendem sobre energia e meio ambiente com o projeto Educar para Transformar

0
185
views

Cerca de 300 estudantes da rede pública de ensino de São Miguel das Missões tiveram aulas diferenciadas nesta quarta-feira (5). O cuidado com o planeta, o uso seguro e eficiente de energia elétrica, o destino correto do lixo, o consumo consciente de água e formas de mobilidade menos poluentes foram abordados de forma lúdica no Ginásio de Esportes do bairro Alegria, por meio do espetáculo teatral Inventário de seres e coisas e de dinâmicas e brincadeiras.

As atividades integram o projeto Educar para Transformar, iniciativa da RGE Sul, que tem como objetivo inserir a temática da sustentabilidade no ambiente escolar, contribuindo para a formação de sociedades mais conscientes e comprometidas com o meio ambiente. Na ocasião, os alunos e os educadores presentes também receberam materiais didáticos – Revista do Aluno e Revista do Professor – para fomentar a continuidade da proposta educativa nas instituições de ensino. O prefeito Hilário Casarin e a secretária municipal de Educação, Sonia Livrete Vieira Rosa, acompanharam as atividades.

Até setembro deste ano, o terceiro ciclo do projeto Educar para Transformar realizará 300 ações educativas gratuitas, que se dividem em dois momentos: os Seminários Regionais – capacitações específicas para professores – que têm como tema “Educação para a formação de sociedades sustentáveis” e contemplam em sua programação oficinas, workshops e uma mesa redonda, e as Ações – momentos de aprendizagem por meio de atividades lúdicas, desenvolvidos para os alunos e realizadas em cada um dos municípios.

Pertencente ao Programa de Eficiência Energética da RGE Sul, o projeto é realizado em parceria com as Prefeituras – por meio das Secretarias Municipais de Educação – e Coordenadorias Regionais de Educação. A iniciativa percorreu 79 cidades nos seus dois primeiros ciclos (2012 e 2014/2015), com a participação de mais de 204 mil pessoas.

Sobre a CPFL Energia

A RGE Sul integra o Grupo CPFL Energia, que há 103 anos está presente no setor elétrico, com atuação nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. É líder no mercado de distribuição, com 14,3% de participação, totalizando mais de 9,1 milhões de clientes em 679 cidades em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, o grupo é um dos líderes no mercado livre, com uma participação de mercado de 14,1% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. Também é um dos líderes na comercialização de energia incentivada para clientes livres.

Na geração, é o segundo maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis. A CPFL Geração conta com 2.248 MW de potência instalada, considerando sua participação equivalente em cada um dos ativos de geração. Em 2011 criou a CPFL Renováveis, com ativos como PCHs, parques eólicos, termelétricas a biomassa e a usina solar Tanquinho, pioneira no Estado de São Paulo, e uma das maiores do Brasil. Adicionando a participação equivalente na CPFL Renováveis, a capacidade instalada total do Grupo CPFL atingiu 3.144 MW no final do segundo trimestre de 2016. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros.

A CPFL Energia tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets e do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index (MSCI). Pelo 11º ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.

Sobre o Programa de Eficiência Energética

Por meio do Programa de Eficiência Energética (PEE), desenvolve projetos para combater e evitar desperdícios de energia elétrica junto aos clientes, sejam eles indivíduos ou organizações. Seguindo uma determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), destina 0,5% da receita líquida anual para essa finalidade. Promove o uso eficiente da energia elétrica por meio da regularização de ligações informais em comunidades de baixa renda.

Fotos e Matéria: Divulgação / Educar para Transformar