Seminário Internacional e Encontro das Cidades Históricas movimentam Porto Alegre (RS), em outubro

Debatendo os usos do Patrimônio Cultural como vetor de desenvolvimento do turismo no Brasil, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio (OCBPM) realizam, entre os dias 23 e 25 de outubro de 2019, em Porto Alegre (RS), o Seminário Internacional sobre Potencial Econômico do Patrimônio em sua Dimensão Turística e o 6º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial. Especialistas do Brasil e de outros países vão demonstrar como arquitetura, religião, artes, tradições e bens históricos compõem o chamado Turismo Cultural e podem ser um meio de fomento à sustentabilidade econômica e social.

Os eventos fazem parte da campanha Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento das cidades históricas, que visa a debater os desafios da intersecção entre turismo e Patrimônio Cultural. Em 2019, a campanha é voltada à região Sul do Brasil em suas mais variadas manifestações – considerando o potencial econômico e a preservação de seus bens culturais. O Seminário e o Encontro serão realizados na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, na capital gaúcha. No roteiro dos eventos, bens culturais, como os imóveis que fazem parte da Rota Nacional da Imigração e conjuntos urbanos de cidades como Antonina (PR) e Pelotas (RS) poderão ser caminhos a firmar a cultura brasileira como incremento ao turismo e, também, à preservação do Patrimônio Cultural.

Em 2019, o Seminário e o Encontro também estão inseridos na iniciativa do governo federal Patrimônio + Turismo, cujo objetivo é aliar turismo, cultura e desenvolvimento socioeconômico. Desde o início do ano, o governo federal vem realizando ações no intuito de ampliar noções sobre o turismo no Brasil, dentre as quais a Política Nacional de Gestão Turística dos Sítios Patrimônio Mundial, que cria diretrizes para o turismo sustentável nos 22 sítios brasileiros reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), como o Parque Nacional do Iguaçu (PR) e as Ruínas de São Miguel das Missões (RS).

Os debates refletem o contexto das transformações em curso em âmbito internacional como aqueles que vêm se produzindo, por exemplo, em Portugal, Espanha, México, Colômbia e outros países latinoamericanos. Já no caso brasileiro, Tradições Doceiras da Região de Pelotas e Antiga Pelotas (RS), bem registrado no Livro de Saberes como Patrimônio Cultural do Brasil, passam a ser um dos objetivos do turista cultural, que busca aprender e descobrir manifestações, culturas alimentares, música e memórias. E nesse campo reside a ponte entre Patrimônio Cultural e desenvolvimento – base de cadeias turísticas a mobilizar comunidades, instituições públicas, organizações do terceiro setor e empresas.

Programação

Dentre as atividades do Seminário, estão os painéis Patrimônio, Turismo e Desenvolvimento e Patrimônio, Turismo e Comunidades, que vão construir conceitos sobre infraestrutura, desenvolvimento regional e territorial, além de tópicos referentes a inovação, economia criativa e meio ambiente. No primeiro, estarão em debate os desafios e experiências em políticas públicas voltadas para o turismo cultural em países como Portugal, Espanha e México; no segundo, o desenvolvimento de produtos que consideram a especificidade de cada região, partindo de experiências no Peru, Colômbia, Portugal e, também, no Brasil.

No dia 23 de outubro, será realizado o lançamento das edições de nº 39 e 40 da Revista do Patrimônio, publicação organizada pelo Iphan desde 1937. As duas edições terão como tema, respectivamente, Gestão Turística em sítios patrimoniais: boas práticas internacionais e, ainda, Dimensão turística no Brasil e Região Sul: oportunidades e desafios para a gestão patrimonial. O seminário e o encontro recebem apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Ministério do Turismo. A Revista do Patrimônio tem patrocínio da Vale.

Envolta em memórias do Sul do Brasil, a programação também inclui a abertura, no dia 24 de outubro, da exposição itinerante 7 Povos – Retratos de um território, que ficará à disposição do público no Memorial do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre (RS). A mostra reúne fotos, filmes, mapas interativos e documentos sobre a História da formação territorial e cultural do Brasil a partir das missões jesuítico-guarani na região Sul, iniciadas ainda no século XVI. Promovida a partir da parceria entre Iphan, Unesco e Agência Brasileira de Cooperação (ABC), a exposição marca mais uma etapa da cooperação cultural entre os países membros do Mercosul e deve passar, em 2020, pelas cidades do Rio de Janeiro (RJ) e Montevidéu, no Uruguai.

Serviço

Seminário Internacional sobre Potencial Econômico do Patrimônio em sua Dimensão Turística e 6º Encontro Brasileiro de Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial

Data: 23, 24 e 25 de outubro

Local: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul

Praça Marechal Deodoro, 101 – Centro Histórico, Porto Alegre (RS)

Fonte: IPHAN