Pesquisa aborda desemprego no RS por características sociodemográficas

Jovens (idade entre 15 e 29 anos) e com Ensino Médio incompleto formam o maior contingente de gaúchos que estavam desempregados ao final de 2018. Esse universo igualmente foi o que mais sofreu os efeitos da crise econômica que o país ingressou a partir de 2014.

Essas são algumas das conclusões do estudo Panorama da desocupação no Rio Grande do Sul por características sociodemográficas (2012-18) que inaugura a série Pesquisa em Pauta, um canal de divulgação sobre trabalhos desenvolvidos pela equipe do Departamento de Economia e Estatística (DEE), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag).

Coordenado pelo economista Raul Bastos, o primeiro estudo do Pesquisa em Pauta mostra, entre outras situações, o quanto a instrução é fator determinante para o ingresso no mercado de trabalho.

A taxa de desocupação entre as mulheres com formação média incompleta chegou a 20,1% em 2018, caindo pela metade (10,3%) quando elas alcançam o antigo 2º Grau (Ensino Médio). Situação semelhante ocorre entre os homens: a taxa recua de 11,8% para 6,4%.

 

Desemprego série histórica

Taxa de desocupação no Brasil e na região Sul entre o 1º trimestre de 2012 e o 4º trimestre de 2018
Foto: DEE/Seplag
Clique aqui e acesse apresentação com o resumo do estudo.

Clique aqui e acesse a Nota Técnica do DEE/Seplag.

Clique aqui e assista a vídeo com o pesquisado Raul Bastos. 

Texto: Ascom Seplag
Edição: Secom

Fonte: Portal do Estado do Rio Grande do Sul