Prefeitos da AMM buscam auxílio para amenizar prejuízos causados pelas enxurradas

0
176
views

Gestores missioneiros uniram forças com outros municípios gaúchos e juntos, cobrarão recursos do Estado e da União

Mais de 15 gestores da região das Missões estiveram presentes na tarde de segunda-feira (5/6) em Porto Alegre, na reunião de emergência promovida pela Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), que contou com a participação de representantes de vários municípios do Estado, atingidos pelas chuvas. Para agilizar a liberação de recursos, ficou acertada pela Famurs uma audiência com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, na próxima terça-feira (13/6), às 16h, em Brasília, com a participação de prefeitos gaúchos.

Conforme levantamento da Associação dos Municípios das Missões (AMM), 6 das 26 cidades da região missioneira já decretaram situação de emergência: Porto Xavier, Pirapó, Roque Gonzales, São Borja, Santo Ângelo e Santo Antônio das Missões. Mas, também devem decretar, dependendo das condições climáticas dos próximos dias, outros municípios missioneiros que também estão bastante prejudicados pelas intempéries climáticas.

Danos irreparáveis
Um exemplo é Salvador das Missões, onde os prejuízos já chegam há quase 1 milhão de reais, de acordo com laudo da Emater e secretarias do município. Segundo o prefeito municipal, Daniel Gorski (PT), os setores mais afetados são as estradas, pontes e bueiros, que dificultam o transporte escolar e a retirada dos produtos das propriedades. Quanto às perdas, estão na produção de leite, milho safrinha, atraso no plantio de trigo, pastagem de inverno, gado de corte, culturas de subsistência e mandioca, pois o município detém a maior beneficiadora de mandioca do Estado.

Em Mato Queimado, o prefeito Orlando Thomas (PP) informou que a cada dia se agravam mais os problemas no município, em decorrência das chuvas que seguem frequentes. Em Santo Ângelo, que já decretou situação de emergência, o prefeito Jacques Barbosa (PDT) relatou que também está muito preocupado, pois têm em torno de 38 casas alagadas, 850 quilômetros de estradas no interior sem trafegabilidade, transporte escolar interrompido em algumas escolas, e perdas no escoamento da produção de leite. Prefeito de Porto Xavier, Vilmar Kaiser (PP) destacou que entre os danos no município estão as estradas intransitáveis, cancelamento do transporte escolar e travessia para a Argentina interrompida.

Burocracia constate 
Em sua manifestação na reunião da Famurs, o prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto (PP), foi enfático: “Estamos cansados. Não viemos aqui para sair de mãos vazias. Já é o segundo decreto de situação de emergência que faço em dois meses”, criticou Bonotto, se referindo a constante burocracia das esferas estadual e federal, na liberação de auxílio às cidades afetadas, além das dificuldades para homologar os decretos em questão.

Mobilização missioneira
Maior que as perdas e prejuízos na maioria dos municípios da AMM, é a mobilização dos prefeitos missioneiros em busca de soluções emergênciais do Estado e da União para atender as comunidades, que são as mais prejudicadas. “Não podemos deixar que esta pauta deliberada hoje na Famurs, caia no esquecimento. Vamos seguir unidos e cobrando dos governos federal e estadual”, afirmou o prefeito de São Nicolau e diretor do Detur, Ricardo Klein.

Na avaliação do prefeito de Salvador das Missões, o encontro em Porto Alegre foi muito bom e com expressiva representação missioneira. “Estamos unidos e temos que parabenizar o presidente da AMM, pelo apoio e mobilização da nossa Associação nesta luta”, evidenciou Daniel Gorski.

Presidente da AMM e prefeito de Entre-Ijuís, Brasil Antonio Sartoti assegurou que a Associação está trabalhando para ajudar os municípios missioneiros atingidos pelas enxurradas e enchentes. “Além do reforço da Famurs, encaminharemos documento da Associação ao ministro da Integração Nacional, solicitando agilidade na liberação de recursos à nossa região”, garantiu Sartori, que fará o possível para estar presente na reunião em Brasília, na próxima semana.

Os prefeitos de Bossoroca, José Moacir Fabrício Dutra; Caibaté, Amauri Pires; Dezesseis de Novembro, Ademir Gonzato; Giruá, Rubem Weimer; Mato Queimado, Orlando Thomas; Porto Xavier, Vilma Kaiser; Pirapó, Auri Kohhann; Roque Gonzales, João Haas; Santo Antônio das Missões, Puranci Barcellos; Salvador das Missões, Daniel Gorski; São Borja, Eduardo Bonotto; São Nicolau, Ricardo Klein; São Luiz Gonzaga, Sidney Brondani; Sete de Setembro, Márcio Politowski; os vice-prefeitos de Santo Ângelo, Bruno Hesse, e de São Paulo das Missões, Elemar Dill; secretários municipais, entre outros, representaram a região das Missões na reunião da Famurs.

Ações da Famurs
Durante a audiência na Capital Federal, será entregue ao ministro uma carta com os pleitos dos municípios. Integram a lista de pedidos da entidade ao Governo Federal prioridade no pagamento das emendas parlamentares aos municípios em situação de emergência; a liberação de recursos do FGTS, do Bolsa Família e do cartão reforma; e a abertura de uma linha de crédito a juros de 4% ao ano. No âmbito estadual, a Famurs reivindica a homologação de decreto estadual de emergência, o pagamento dos atrasos na área da saúde, a transferência de recursos para a recuperação das estradas vicinais e a recuperação das rodovias estaduais danificadas pela chuva. “Ninguém saiu do seu município senão com a intenção de amenizar o sofrimento das pessoas que estão com dificuldades”, ressaltou o futuro presidente da Federação e prefeito de Rio dos índios, Salmo Dias, durante a reunião de emergência, na capital gaúcha, quando participaram cerca de 200 prefeitos.

Estiveram presentes no evento o secretário de Transportes do RS, Pedro Westphalen, o secretário de Agricultura do RS, Ernani Polo, o secretário ajunto de Desenvolvimento Rural do RS, Iberê Orsi, o chefe da Defesa Civil do RS, Alexandre Martins, o representante do Ministério da Integração Nacional na Região Sul, Alexandre Kapper; o deputado federal Covatti Filho e a deputada estadual Zilá Breitenbach.